Meta acusada de facilitar o assédio sexual de crianças nas suas redes sociais!

Início / Redes Sociais / Meta acusada de facilitar o assédio sexual de crianças nas suas redes sociais!
Meta acusada de facilitar o assédio sexual de crianças nas suas redes sociais!

Há alguns meses, documentos internos do Wall Street Journal revelaram que, em média, 100 mil crianças são vítimas de assédio nas redes sociais propriedade da Meta. No processo, o estado do Novo México decidiu processar a controladora do Facebook.

Na referida denúncia, Meta é acusado de ter descumprido seu dever de proteção. Os algoritmos da empresa americana são particularmente destacados. Os demandantes acreditam que recomendam conteúdo adulto e contato sexual a menores. O que torna mais fácil para os predadores.

Leia também:

O algoritmo “Pessoas que você talvez conheça” destacou

Segundo informações reveladas por documento interno da Meta datado de 2021, o algoritmo “People You May Know” (PMYK) é responsável por 75% dos contatos inapropriados entre adultos e menores nas redes sociais da Meta. O que teria levado alguns funcionários da empresa a propor uma modificação no algoritmo. Mas os líderes rejeitaram a ideia, preferindo continuar a fazer o jogo dos predadores sexuais.

Outro documento interno da Meta revelado como parte do processo mostrou que o Instagram era um terreno fértil para conversas sexuais. O memorando interno de 2020 indica que esse tipo de conversa era 38 vezes mais comum no Instagram do que no Facebook Messenger. Foi até relatado que o filho de um executivo da Apple teria sido vítima desse tipo de solicitação inadequada no Instagram.

Situação que, segundo um funcionário da Meta, teria levado a empresa de Cupertino a ameaçar retirar o Instagram da App Store.

Medidas insuficientes e tardias

Antes de entrar com a ação, o estado do Novo México criou contas falsas para crianças no Facebook. Isto permitiu-lhe medir a extensão do fenómeno de assédio a menores na plataforma Meta, que tem mais de 3 bilhões de usuários ativos. Segundo a denúncia, as contas supostamente recebiam imagens sexuais de crianças e ofertas de pagamento por sexo.

O governo americano estima que os gestores da Meta não tenham realmente tomado medidas para combater a predação de adultos sobre menores antes do final de 2022. Só recentemente a empresa americana introduziu medidas para utilizadores adolescentes no Instagram e no Facebook. Mesmo que impeçam que pessoas que não os seguem lhes enviem mensagens e bloqueiem comentários ofensivos, ainda são considerados insuficientes.

Até agora, a Meta nunca implementou as medidas rigorosas recomendadas pelo pessoal de segurança. A empresa continua a priorizar seus interesses financeiros em detrimento da segurança das crianças.

Leitura relacionada:

Roberto Magalhães

O cérebro editor por trás do Tecnologico.online, é um entusiasta apaixonado por tecnologia. Canaliza sua fascinação para criar conteúdo envolvente e informativo. Sua dedicação à inovação reflete-se nos artigos que produz, abrangendo uma ampla gama de tópicos tecnológicos. Com um olhar atento para as últimas tendências e desenvolvimentos, busca tornar...

Voltar para o blog

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes da publicação.